segunda-feira, 16 de julho de 2012

Compromisso com o Espiritismo

Amigos caros,

Que o Senhor nos deixe a Sua paz.

Vivemos, desde sempre, sob os intensos desafios que a vivência do Espiritismo nos impõe, mundo afora, o que nos leva a realizar inauditos esforços para testemunhar amor à causa que nos abriu espaço de trabalho e de emancipação espiritual.

Os trabalhadores espíritas, por isso mesmo, jamais deverão evadir-se desse repto, na maior parte das vezes assumido na Pátria Espiritual, a fim de desenvolver fidelidade corajosa nos trabalhos felizes do Consolador, recuperando-se de antigos processos de omissão ou de defecção, quando foram deixados à margem os ensinamentos luminosos do Senhor.

Fundamental é que haja sempre o espírito comprometido com as lições venturosas com que o Espiritismo nos aponta o norte onde pulsa o pensamento divino de Jesus, nessa nova etapa das nossas disposições morais para conquistar o próprio desenvolvimento.

O estabelecimento da convicção  deve alicerçar-se, assim, nos estudos espíritas profundos e iluminadores e o sentimento fraterno deve firmar-se na prática da indulgência e da solidariedade produtivas.

Mas, é na vivência da fraternidade sempre crescente que, verdadeiramente, se estriba o amor, capaz de tornar-nos pequenos, mas gloriosos servidores, lidando sob a orientação mais expressiva dos diretos prepostos do Mestre Galileu.

Prossigam fortes e dispostos, meus irmãos, pensando e ensinando Espiritismo, demonstrando-o, sempre que possível, a toda a gente, em toda parte. No entanto, jamais se olvidem de que o nosso propósito maior precisa ser a prática vivencial do Espiritismo, na grandeza como nos foi ele apresentado por Allan Kardec.


Felinto Martins

Psicografia de José Raul Teixeira, em reunião
ordinária do Conselho Federativo Nacional,
da Federação Espírita Brasileira, em Brasília, DF, em 12
de novembro de 2011.
Em 06.03.2012

Nenhum comentário: